Compartilhe
Tamanho da fonte


18/9/2017
INCLUSÃO ESCOLAR DESDE O BERÇÁRIO.
Receber uma pessoa com deficiência no ambiente escolar pode ser um tanto quanto difícil para a instituição de ensino. Mas e se isso acontecer desde o berçário?

A Inclusão Escolar é um tema cada vez mais abordado no Brasil, pois oferece para as crianças com deficiência um ambiente escolar comum, regular. Esse ambiente escolar conjunto, promove uma vida adulta mais humana e social integrativa.

O Centro de Educação Infantil Municipal Aquarela, de Chapecó, que recebe alunos com TEA desde o berçário, conta um pouco mais sobre como é o dia a dia de uma escola inclusiva:


IE: Como foi receber uma criança com TEA na escola?
CEIM: É sempre um desafio para Educação Infantil receber uma criança com deficiência. E, para atender uma criança com TEA, é preciso uma atenção maior e especial. Mesmo sabendo que é a própria criança que deve lidar com seus obstáculos e barreiras a serem derrubadas, elas precisam supervisão para que isso aconteça.
Tivemos que criar estratégias, aqui no CEIM, para proporcionar momentos agradáveis e aconchegantes para que nossos alunos sintam-se seguros, tranquilos e acolhidos pelos nossos profissionais e seus colegas. Procuramos receber nossas crianças com o nosso olhar voltado à anamnese (respondida pela família) e aos diagnósticos dos profissionais ( que passam o laudo da deficiência de cada criança atendida). Diante disto, procuramos fazer o melhor possível, não só para a criança mas também para que a família sinta-se segura no período que seu filho estiver sob nossos cuidados.

IE: Quais as adaptações tiveram que ser feitas para que essas crianças estudassem com vocês?
CEIM: Algumas adaptações no currículo são realizadas, como também adaptações em áreas específicas que as crianças apresentem maior dificuldade. Adaptações curriculares podem incluir: modificação na instrução das atividades, alteração no formato da aula, planejamento com objetivos individualizados, utilização de materiais específicos, exploração de ambientes e uso de estratégias de ensino diferenciadas. Essas adaptações sempre são feitas junto com a equipe de profissionais que atende estas crianças fora do ambiente escolar como Terapeutas Ocupacionais, Fisioterapeutas, Fonoaudiólogos, etc. Esta equipe de profissionais facilita, e nos ajuda, a compreender quais áreas devem ser mais estimuladas e trabalhadas. Destacar pontos de dificuldade em áreas de ensino diferente, também é importante para conseguir uma melhor adaptação e absorção de conteúdo.

IE:Como os outros alunos os receberam?
CEIM: Na educação infantil a adaptação das crianças acontece tranquilamente, independente se há deficiência ou não. As crianças não apresentam entre si algum tipo de preconceito.
Nas experiências que temos, sempre procuramos preparar as crianças antecipadamente referente à questão de ter um aluno incluído na turma. Na primeira instancia de inclusão, utilizamos uma fala apropriada para cada faixa etária, para possibilitar que todos compreendam como será receber o colega com TEA. E, a partir daí, esta inclusão acontece de forma agradável, com afetividade e respeito da parte das crianças.
Percebemos, com isso, que o nossos alunos sentem-se acolhidos e tranquilos no período de adaptação.

IE: Como é a adaptação das crianças dentro do ambiente escolar?
CEIM: A primeira fase desta adaptação é onde eles irão reconhecer seus educadores e seus colegas. Em alguns momentos tem choro, mas procuramos as estimular com atividades planejadas para esse período de adaptação. Proporcionamos também, para esses alunos, vários momentos de exploração e conhecimento do CEIM para conforta-los e ambienta-los ao local. Um deles é utilizar imagens reais dos momentos das crianças em atividades e rotinas do CEIM, para construir uma rotina visual para eles. Também realizamos vídeos do período de adaptação da criança e enviamos à família, para que acompanhem esse período e sintam-se tranquilos e seguros em relação ao ingresso escolar dos filhos.















voltar