Compartilhe
Tamanho da fonte


15/12/2017
"É NECESSÁRIO GARANTIR O APRENDIZADO E PERMANÊNCIA DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA"
As ministrantes do curso de Inclusão Escolar Bruna Almeida e Nara Sandes explicam o que é e como funciona esse processo no ambiente educacional

A Inclusão Escolar é um processo que reflete e propõe meios pelos quais pessoas com deficiência possam participar de forma ativa no ambiente escolar.

O objetivo é ter a permanência e o aprendizado garantidos. Nesse contexto, não é a PCD quem deve se ajustar à sociedade, mas é a sociedade, as pessoas, a arquitetura dos espaços e os modelos de ensino e aprendizagem que precisam se adequar para receber e tornar eficaz o aprendizado de quem tem deficiência.

Nesse sentido, o ambiente escolar e os profissionais da educação e reabilitação precisam estar atentos às barreiras que estas crianças enfrentam, sendo necessário oferecer adaptação do ambiente escolar, dos materiais, do currículo pedagógico e, principalmente, as barreiras atitudinais para que a criança com deficiência, de fato, seja incluída e possa conviver em um ambiente de respeito e diversidade.

As terapeutas ocupacionais e assessoras em reabilitação e inclusão Bruna Almeida e Nara Sandes, diretoras da Inclusão Eficiente Nordeste, explicam o que é inclusão escolar e como ela pode ser feita, na entrevista abaixo. Esse será o tema do curso de "Inclusão Escolar - Estratégias Facilitadoras", nos dias 24 e 25 de fevereiro de 2018, no Recife. Confira!

1. Em que consiste a inclusão escolar, de um modo geral?
Bruna Almeida: Atualmente, o modelo de Inclusão Escolar entende que todas as pessoas, independente de suas limitações devidas a qualquer deficiência, devem ter acesso à sala de aula regular, entendendo-se a diversidade das pessoas, respeitando suas habilidades e limitações, e sabendo que a pessoa não tem que se adaptar a sociedade, mas toda a sociedade precisa ser justa e se adaptar a elas. Além de garantir o acesso, é necessário garantir o aprendizado e permanência desse aluno.

2. Que leis atualmente regem essa questão no Brasil?
Nara Sandes: Atualmente, temos o Estatuto da Pessoa com Deficiência, a Lei 13.146, de 06 de julho de 2015, que, por se tratar de uma lei nacional, é a mais importante. Embora ela ofereça garantia de alguns direitos das pessoas com deficiência, ainda existem lacunas que acabam muitas vezes deixando a criança sem a assistência adequada. Dos grandes avanços que esta lei nos trouxe, destacamos três mais interessantes: a obrigação das escolas a dar acesso ambiental, acessibilidade de material e conteúdo; a obrigação de haver um profissional de apoio responsável por auxiliar nos cuidados pessoais e na participação nas atividades escolares; e, por fim, a proibição de que escolas particulares cobrem qualquer valor adicional aos pais de crianças com deficiência.

3. De que modo é possível adaptar o currículo e os materiais nesse processo?
Bruna Almeida: Para realizar uma adaptação curricular e de materiais, a primeira coisa necessária é conhecer bem a criança em questão. Uma boa avaliação de suas habilidades, conhecimentos e potencialidades nos deixa com muitas ferramentas para realizar as adaptações: o que podemos esperar dessa criança, em termos de aprendizado pedagógico, desempenho motor, participação social e relacionar tudo isso com o currículo geral do ano da criança. A partir disso, consegue-se traçar o Plano Educacional Individualizado, o PEI. Além disso, é preciso considerar os recursos de tecnologia assistiva que podem favorecer a participação da criança nas suas atividades. Por exemplo: crianças com disfunções motoras importantes podem não conseguir escrever da forma convencional; então, inserir um netbook ou um tablet no contexto educacional pode garantir o acesso da criança às atividades.

4. Que tecnologias assistivas podem ser usadas no processo de inclusão escolar?
Nara Sandes: Desde tecnologias de baixo custo, como engrossadores de lápis, até de alto custo, como computadores, impressoras, simuladores de voz. Não há limites para o que pode ser implementado na escola. A regra é oferecer alternativas que garantam que a criança possa realizar suas atividades escolares de forma satisfatória.

Curso "Inclusão Escolar - Estratégias Facilitadoras"
Data: 24 e 25 de fevereiro de 2018
Local: Inclusão Eficiente Nordeste - Av. Rui Barbosa, 715, sala 1405, Graças - Recife (PE)
Inscrições: https://goo.gl/forms/UCXUFcjvs4wtWXnr2
Mais informações: contato.pe@inclusaoeficiente.com.br




voltar