Compartilhe
Tamanho da fonte


1/3/2018
"QUANDO FALAMOS DE CURRÍCULO, FALAMOS DE TODO O CONTEXTO ESCOLAR DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE"
Um dos desafios da processo de inclusão escolar é o momento da adaptação curricular. Descobrir as necessidades dos alunos com deficiência, entender as diretrizes legais e considerar como ponto de partida o contexto em que o aluno está inserido são alguns dos pontos mais importantes nessa hora.

Um dos desafios da processo de inclusão escolar é o momento da adaptação curricular. Descobrir as necessidades dos alunos com deficiência, entender as diretrizes legais e considerar como ponto de partida o contexto em que o aluno está inserido são alguns dos pontos mais importantes nessa hora. A pedagoga Vanessa Maghry, da Inclusão Eficiente, nos explicou os detalhes da adaptação curricular, que será tema de curso nos dias 07 e 08 de abril em Fortaleza, no Ceará, pela Inclusão Eficiente Nordeste. Confira:

1. Quais os elementos mais importantes na hora de pensar a adaptação de um currículo escolar?

É importante pensarmos que, quando falamos de currículo, não falamos apenas da grade curricular, que possui todos os conteúdos e habilidades e competências a serem desenvolvidas. Estamos nos referindo a todo um contexto escolar que precisa ser adaptado para um aluno que possui o seu contexto de vivências dentro e fora da escola. Portanto, um dos elementos mais importantes a ser citado, é o contexto. Outro aspecto importante de se pensar, inclusive baseando-se no elemento anterior, é a individualização da aprendizagem, oportunizando assim que cada aluno receba o conhecimento da melhor maneira possível e o absorva de acordo com sua capacidade.

2. A adaptação do currículo é pensada para que público?

As adaptações são pensadas para alunos com deficiência. A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência descreve que é considerada pessoa com deficiência toda pessoa que “tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas” (BRASIL, 2015). No entanto, é necessária uma avaliação multidisciplinar minuciosa para identificar a real necessidade de ofertar a adaptação de currículo para esse aluno, assim como todos os demais recursos a que ele possui direito.

3. É possível criar "do zero" um currículo que se adapte à individualidade de cada aluno, com ou sem deficiência?

Atualmente as escolas, independentemente de serem públicas ou privadas, possuem as diretrizes do MEC (Ministério da Educação) para seguir. O MEC disponibiliza alguns documentos, dentre eles, a BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e PCN’s (Parâmetros Curriculares Nacionais), produzidos por pesquisadores da área da educação fundamentados no processo de desenvolvimento humano. As escolas precisam se basear nesses documentos para criar o seu Plano Pedagógico, possuindo a liberdade de metodologia, ou seja, das maneiras e estratégias que utilizarão para alcançar os objetivos traçados a partir desses conteúdos.

4. Quais os possíveis erros dentro do processo de adaptação curricular? A que os profissionais devem estar atentos para um bom trabalho?

Um dos maiores desafios dos profissionais é mensurar o nível de capacidade de aprendizagem dos alunos, ou seja, o quanto de conhecimento ele conseguirá efetivamente absorver e utilizar no seu cotidiano. Não considero um "erro", mas, sim, tentativas, pois, a partir daí, identificamos o que não funciona e o que não fazer. É comum a oferta de informações na medida inadequada, seja para mais ou para menos. Sendo assim, as expectativas e objetivos de aprendizagem para o aluno são o maior cuidado que os profissionais devem ter, evitando tanto a frustração dele e do aluno quanto privar esse aluno de possíveis aprendizagens.

Outra dificuldade enfrentada nas escolas é a mensuração de quais recursos descritos na Lei o aluno incluso precisará para melhorar seu desempenho e sua participação neste âmbito, seja por uma dificuldade de interesses do sistema educacional ou na avaliação multidisciplinar ou da família, gerando um impasse e atraso no processo de inclusão.

5. Quais os principais passos dentro do processo de adaptação de currículo?

Ressalto novamente a importância de considerarmos que, quando falamos de currículo, falamos de todo o contexto escolar que a criança/adolescente está inserido. Neste sentido, os principais passos são:
- Conhecer o aluno: quem é esse aluno; em que contextos sociais está inserido; quais são suas habilidades e dificuldades; qual o seu histórico escolar; e quem é a equipe multidisciplinar que está por trás do seu desenvolvimento.
- Planejar e aplicar as adaptações e intervenções desde o meio escolar até a avaliação.

Inscrições e informações sobre o curso de Adaptações Curriculares, com a assessora em inclusão Vanessa Maghry, nos dias 07 e 08 de abril em Fortaleza (CE): https://goo.gl/forms/nCXhmDD2vzXz92Wg2




voltar