Compartilhe
Tamanho da fonte


13/1/2017
FÉRIAS: COMO MANTER AS CRIANÇAS QUE FICAM EM CASA, SEM TERAPIAS E SEM ESCOLA, SENDO ESTIMULADAS E ORGANIZADAS?
As crianças com deficiências e/ou dificuldades, muitas vezes têm uma rotina cheia de compromissos, transitando entre turnos, sendo eles na escola e mantendo a correria entre fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, psicopedagogos entre várias outros acontecimentos que tornam sua rotina mais complexa do que muitas agendas de empresários bem sucedidos.

E quando tudo isto é deixado de lado, como no período de férias, como fazer para que a criança não se desorganize?
Muitas pessoas acabam acreditando que neste período a criança precisa ficar ‘livre’, sem fazer nada, sem orientação... O que muitas vezes pode ser mais prejudicial do que benéfico. Sim, sabemos que até mesmo a Neurociência nos traz informações de como é importante o tempo de acomodação de aprendizagens e a necessidade de ter um horário para descanso, entre outras coisas. Não indicamos que criança não tenha tempo para brincar, e nem mesmo de fazer aquilo que elas querem, muito pelo contrário.
Conciliar, desejo com necessidade, estimulação sem ser em terapias convencionais, organizar sem ter uma rotina fixa, é um desafio enorme para pais e profissionais que trabalham com crianças com deficiência, mas é tão necessário quanto complexo. O desejo deve sempre ser o direcionador de atividades, e com isso as atividades passam a ser mais tentadoras e podem conseguir que a criança perceba o quão legal pode ser fazer atividades mesmo nas férias.
A mais conhecida, e arrisco dizer mais rica, atividade para trabalhar nas férias são as oficinas de culinária, onde de um momento podem ser tirados inúmeras possibilidades, tais como: fazer lista de compras, checar o que tem em casa, ir até o mercado - que pode ser feito através de uma organização de um mapa, comprar os ingredientes, assistir tutorial de como se faz aquela receita, seguir passos, arrumar a mesa, chamar amigos pra vir lanchar, entre outras tarefas que podem tornar as férias mais divertidas e desta forma, consequentemente, as crianças irão receber uma estimulação de independência, autonomia, participação social e cognitiva, e poderão se manterem mais organizadas, sem perceber.
Para organizar a rotina das crianças, mesmo que ela seja mais flexível do que em período escolar, faz-se necessário que elas recebam suporte, de acordo com sua necessidade, que já estão acostumados a receber, ou seja, não podemos esperar para que nas férias eles se organizem sozinhas, quando em tempos de aulas, eles utilizam de agenda de fotos. Isto é correr um risco enorme de desorganização. Sendo assim, as crianças devem ter o entendimento de tudo aquilo que vai, ou que pode ocorrer, seguindo os mesmos princípios de que quando se conhece algo, se planeja anteriormente, a sua execução será mais satisfatória.
As crianças acompanhadas pela Inclusão Eficiente, têm um Programa de Intervenção Domiciliar, o Life, que em época de Férias apelidamos de Programa de Férias, que contemplam todas as atividades, pensadas individualmente. Utilizamos também o aplicativo para tablets Minha Rotina Especial, que organiza através de fotos e recursos de áudios, além de toda rotina de férias, suas viagens e atividades diferenciadas. Conheçam nosso programa através do site www.inclusaoeficiente.com.br/life e o App pelo site www.minharotina.com.br e boas férias!

Régis Nepomuceno, Terapeuta Ocupacional
Diretor Geral da Inclusão Eficiente



voltar