Compartilhe
Tamanho da fonte


20/1/2017
LIGANDO CONTEÚDOS ESCOLARES COM ATIVIDADES DESENVOLVIDAS EM CASA
Quando se tem uma criança com algum transtorno do desenvolvimento incluída em uma sala de aula regular, é necessário ensiná-la de diversas maneiras o mesmo conteúdo, de formas diferenciadas e adaptadas para que ela consiga absorver da melhor maneira possível o mesmo conteúdo que os colegas. Não necessariamente a criança realizará a mesma atividade, porém o contexto deve ser o mesmo, devemos utilizar o contexto da sala de aula e promover atividades de conteúdo similar, que mesmo que seja por outro caminho percorrido, o resultado final será o mesmo.

Por saber que quando a criança vivencia na prática aquilo que aprendeu na teoria ela explora melhor e consequentemente fixa de maneira satisfatória o conteúdo estudado, nas atividades desenvolvidas no LIFE (Programa de intervenção domiciliar desenvolvido pelos assessores da Inclusão Eficiente) as crianças planejam, executam e exploram atividades dentro de casa, na rua, no mercado, na praça, parque público ou demais ambientes do dia a dia da sua realidade, do contexto em que está inserido.
No LIFE além de planejar atividades de intervenção domiciliar que faça a ligação de contexto, os assessores também auxiliam e sugerem para as escolas as adaptações necessárias para atividades desenvolvidas em sala de aula e ambiente escolar, colaborando para a ligação de contextos entre as atividades realizadas em casa e conteúdos e contextos escolares uma vez que o assessor fica em contato constante entre os ambientes que a criança frequenta.
Para colocar isto em prática, os assessores após avaliar as habilidades a serem trabalhadas na criança, analisam os conteúdos escolares, planejam a intervenção e orientam a acompanhante terapêutica (AT) da criança em relação a estas atividades. Como forma de trazer para a realidade da criança de forma concreta os conceitos estudados em matemática, por exemplo, foi proposto em um programa do LIFE que a criança fosse até um parque da cidade, realizasse caminhadas com sua AT medindo a quilometragem, que chegando em casa foram convertidos em metros e calculados quantos minutos eram necessários para completar a volta, tudo isso envolvendo conceitos matemáticos aprendidos no colégio.
As famílias fazem um papel muito importante neste processo terapêutico, quanto mais envolvidas melhores são os resultados alcançados. Pais que se envolvem no programa de forma a contribuir na estimulação em momentos de descontração da família, envolvendo as viagens e passeios pré programados nos conteúdos estudados na escola, ou então planejando novos passeios estruturados e orientados pela equipe da Inclusão Eficiente.

Giulia Gallo, Terapeuta Ocupacional
Assessora e Consultora da Inclusão Eficiente




voltar