Compartilhe
Tamanho da fonte


23/8/2017
O ACOMPANHANTE TERAPÊUTICO NA RELAÇÃO MEDIADA
Conheça um pouco da Rotina do Acompanhante Terapêutico e qual é a sua importância no dia a dia da criança com deficiência.

A profissão de A.T. (Acompanhante Terapêutico), é indispensável hoje para a evolução da pessoa (criança, adulto ou idoso) diagnosticada com alguma deficiência. Embora ainda não regulamentada no Brasil, há relatos de sua prática desde a década de 60, realizadas na Argentina. No programa LIFE, Programa de Intervenção Domiciliar, os Acompanhantes Terapêuticos executam o programa elaborado e supervisionado pelos assessores da equipe multidisciplinar da Inclusão Eficiente. O Life, possui um programa de rotina, a partir da realidade, demanda e particularidade de cada criança e família. Esta prática é realizada no ambiente natural da criança, sua casa e os locais de participação social familiar e propicia ao A.T. um amplo e recompensador crescimento pessoal e profissional.
O A.T. executa um papel de mediador entre a criança e o meio, facilitando as atividades do dia a dia, buscando bom nível de desempenho tanto nas tarefas relacionadas à banho, escovar dentes, alimentação, vestir-se, quanto manuseio de objetos, leitura funcional, ir à ambientes sociais e de lazer, etc.
Para tanto, o A.T. torna-se um parceiro importante para explorar os ambientes junto destas pessoas, auxiliando na melhor convivência com os estímulos e aprendizados que o ambiente exige. Ou seja, este profissional precisa acompanhar facilitando e adaptando o cotidiano de seu assessorado. Quando as tarefas estiverem muito difíceis, facilitar, e dificultar, ou deixar mais complexo, quando for cabível. Sempre objetivando fortalecer e aprimorar potencialidades, alcançando, cada vez mais, níveis de autonomia e superação de déficits, melhorando a adaptação de vida para as pessoas assistidas.
O trabalho do A.T. não é desenvolvido sozinho e também não substitui terapias convencionais. Para que a pessoa assistida tenha um bom rendimento e desenvolvimento, a interdisciplinaridade entre os profissionais envolvidos é fundamental. Como o A.T. passa a maior parte do tempo com os assessorados, ele consegue realizar a ligação de contextos, criando uma ponte, entre compreensão e aplicabilidade do que é explorado em cada ambiente da pessoa com deficiência, com a equipe do Programa LIFE, da Inclusão Eficiente, seus terapeutas, a escola e a família desta pessoa. Essa ligação, promove ao AT, um olhar mais amplo trazendo elementos importantes para as próximas atividades de rotina da pessoa assistida, criando diversas possibilidades de exploração.
Outra ponto importante, trabalhado pela Inclusão Eficiente, é o processo de inserção da A.T. no ambiente familiar da pessoa acompanhada e a necessidade de trabalhar dentro do contexto de realidade. O trabalho é feito para que a pessoa assistida tenha um bom desenvolvimento dentro de sua cultura familiar e cabe ao A.T. favorecer isto. Pontualmente, é válido tratar sobre a postura adequada de um A.T. em seu trabalho, que deve estar atento na relação do dia a dia, pois é ele quem conduz e media as atividades e situações cotidianas. É preciso observar os comportamentos, saber afastar-se para haver espaço de crescimento e autonomia, contudo, aproximar-se promovendo suporte adequado. Os pequenos detalhes no comportamento, no modo de se expressar, de se relacionar, entre outros, são fundamentais para compor como deverá ser a atuação do A.T. de forma eficaz e profissional.
O A.T. cria um vínculo muito grande com a pessoa assistida, por passar grande parte de seu dia e acompanhar suas atividades rotineiras. Nessa relação, de grande importância, um conhece o funcionamento do outro e o acompanhante consegue prever e antecipar crises e desorganizações, o que é muito importante e válido, bem como conhecer o assessorado como um todo. Entretanto, o AT também está sob a visão, dando espaço para a pessoa assistida saber lidar também com situações para seu próprio benefício. É fundamental estar atento ao conjunto de ações e reações que permeiam esta relação, para o sucesso desta prática.
O trabalho em conjunto, tanto dos profissionais do Programa LIFE, da Inclusão Eficiente, quanto do A.T, da escola e da família, caminham juntos. Isso, proporciona para a pessoa com deficiência um melhor desenvolvimento, convívio social e possibilidades de inclusão no mercado de trabalho. Um trabalho em equipe, criado para o desenvolvimento de habilidades para pessoas com deficiência.


Marina Lorenceti
Assessora e Consultora da Inclusão Eficiente.






voltar