Compartilhe
Tamanho da fonte


13/10/2016
A IMPORTÂNCIA DA LIGAÇÃO DOS CONTEXTOS NA ROTINA DA CRIANÇA
Confira texto da Terapeuta Ocupacional Aline Zanotto sobre a importância da ligação de contextos, eixo do trabalho da empresa com o programa de intervenção domiciliar, o LIFE.

Toda criança está envolvida em diversas atividades e ambientes dentro de sua rotina. Desde o nascimento até sua vida adulta, são as explorações de diversos ambientes que a levam a ter experiências e através destas as aprendizagens que possibilitam o seu desenvolvimento cognitivo. O bebê desde muito cedo estabelece suas conexões através dos adultos que o cercam. Inicialmente são relações restritas ao ambiente familiar, e posteriormente isso vai se ampliando. Como exemplo disso temos a entrada da criança no ambiente escolar ou social, onde passa a conviver com outros e ter assim novas oportunidades de experiências e aprendizagens.
A forma como as informações chegam - tanto para crianças que tem algum transtorno do desenvolvimento como para as que não tem - é a mesma. As duas têm acesso à informação da mesma maneira. Porém, a forma como a criança com transtorno vai interpretar a informação será diferente. Os adultos, incluindo aqui a equipe que trabalha com essa criança, terão esse papel fundamental de facilitar através de estratégias específicas para cada situação, a interpretação dessas informações.
Para que esse movimento de facilitação dessa interpretação para a criança por parte de todos que convivem com ela possa funcionar, deve-se socializar e eleger objetivos coerentes de acordo com a realidade como um todo, e não de maneira isolada, considerando as avaliações dos profissionais bem como as demandas da família. É fundamental criar este ambiente onde todos recebam a informação clara e objetiva, através de empatia, seriedade e profissionalismo perpassando o objetivo principal que irá nortear todo o processo: o foco na criança.
Sabe-se que a aprendizagem isolada não favorece uma função real para as atividades cotidianas, sendo algo que a criança fará em um ambiente isolado e restrito, e que não será levado para sua vida diária. Para que estas aprendizagens possam ter um real sentido e favoreçam o desenvolvimento pleno, é importante pensar em formas de levar as aprendizagens para todos os ambientes, fazendo uma ligação de contextos. Para isso, o acesso e a troca de informações são fundamentais.
A flexibilidade e abertura para uma discussão de objetivos claros e coerentes com a realidade da criança, ligada a todos os seus contextos, viabiliza o uso de seus processos cognitivos de forma integrada e contínua, possibilitando que ela experiencie de diversas maneiras suas novas aquisições cognitivas em diversos ambientes. O papel fundamental da equipe (incluindo família) fica óbvio, fazendo papel de mediador e condutor das experiências.
Um desenvolvimento global não funciona de maneira fragmentada, e deve nos fazer questionar a qualidade do que é oferecido, e não a quantidade. As atividades realizadas no dia a dia devem estar contextualizadas e exploradas, trabalhando a desmistificação do conceito de que quantidade é o que importa.
O vínculo e a clareza de toda a equipe envolvida com a criança é fundamental para que se possa garantir a usabilidade de todos os conceitos adquiridos em cada ambiente em que ela frequenta, de maneira coerente e funcional.
O LIFE - Programa de intervenção domiciliar elaborado pelos profissionais da Inclusão Eficiente, surgiu com esta premissa de favorecer essa ligação contextual, pensando na criança de uma maneira integral, além de funcional e num contexto realista. Tendo como pilares norteadores os contextos escolar, social, funcional e laboral, prevê todo um processo a ser construído ao longo do desenvolvimento da vida da criança, não somente no agora mas também como um adulto que virá a ser, trabalhando desde as bases e expandindo conforme o desenrolar do seu desenvolvimento. Essas características fazem do LIFE uma intervenção focada no dia a dia da criança,a partir das suas especificidades e de seu contexto, garantindo uma intervenção e um desenvolvimento coerentes, repeitando o foco principal da intervenção: a criança.
Trabalhar ligação de contextos também é facilitar o trabalho dos demais terapeutas, pois quando aquilo que é feito na clínica e na escola é reforçado pela prática em casa, no parque, nas atividades funcionais, o aprendizado ganha sentido e os resultados são mais evidentes, por isso o trabalho do LIFE não substitui terapias, mas potencializa resultados.
Trabalhar ligação de contextos enfim, é uma das premissas para valorizar autonomia e participação, dois eixos centrais da Terapia Ocupacional que norteiam nosso trabalho na Inclusão Eficiente.





voltar